Presidente da OAB nacional dará palestra no Prêmio Alagoas de Direitos Humanos

A secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos, Maria Silva, convidou o presidente da OAB Nacional, Felipe Santa Cruz, para ser o palestrante do Prêmio Alagoas de Direitos Humanos, que acontece no dia 06 de dezembro. Maria está em Brasília esta semana para agendas de articulação de projetos da Semudh, dentre elas, o encontro com o presidente da entidade.

O prêmio, em sua segunda edição, faz parte da programação da Semana Estadual dos Direitos Humanos, que comemora os 72 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A premiação vai homenagear a companheira da vereadora Marielle Franco, a arquiteta Mônica Benício, pela incessante luta por justiça no caso do assassinato brutal de Marielle e seu motorista, crime que repercutiu no mundo inteiro e ainda não foi solucionado. Na categoria estadual, o homenageado é o padre Manoel Henrique, ativista social que se destaca pela luta em prol dos direitos humanos.

Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, vem a Maceió para falar sobre os direitos humanos e os riscos de retrocessos em tempos de instabilidade política. Para a secretária Maria Silva, cabe a todas as entidades que defendem os direitos humanos no país se manifestarem em favor desses direitos e das pessoas que estão sofrendo vários tipos de violências justamente por quem deveria dar o maior exemplo de proteção à vida e à constituição federal.

“Felipe Santa Cruz tem um passado de luta e de enfrentamento às violações dos direitos, e um pai que deu a própria vida pela democracia. Não podemos permitir que destruam a memória dos nossos companheiros que enfrentaram o regime militar com a coragem e, muitos deles, com a própria vida”, afirmou a secretária.

De iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh), a premiação visa promover os direitos humanos e disseminar uma cultura de paz por meio das ações de diversos atores sociais, sejam eles autarquias, órgãos da administração pública, ONGs ou mesmo pessoas físicas e jurídicas que combatem o desrespeito aos direitos humanos nas mais diversas esferas e áreas de atuação.

O evento teve sua primeira edição em dezembro de 2018 e trouxe a Maceió o jornalista Caco Barcellos, premiado na categoria nacional, além de homenagear o médico Hemerson Casado, ativista da saúde conhecido pela luta em prol do tratamento gratuito a pessoas portadoras de Esclerose Lateral Amiotrófica – ELA, doença do sistema nervoso que afeta as funções físicas e enfraquece os músculos.

A major Márcia Danielli, comandante da Patrulha Maria da Penha em Alagoas, a coordenadora em Alagoas do Programa Mulheres Mil, Luiza Jaborandi, e o deputado federal Paulo Fernando dos Santos, o Paulão, parlamentar que tem os direitos humanos como seu eixo principal de atuação, também receberam reconhecimento na primeira edição.

Ascom – 14/08/2019

(Visited 1 times, 1 visits today)